Photo Club Entrada Franca
Fechar!

Photo Club Entrada Franca

Postado por Entrada Franca em 28/02/2013

Desenhando com a Luz, sombras, cores e muitas inspirações. Foto Clube Entrada Franca uma nova opção de cultura e arte em São José dos Campos.

Proxima saída fotográfica: Quinta, 7 de março de 2013 às 18:00. É GRATUITO – PARTICIPE!

  • Photo Club Entrada Franca

    Photo Club Entrada Franca

    Postado por Entrada Franca em 28/02/2013

    Desenhando com a Luz, sombras, cores e muitas inspirações. Foto Clube Entrada Franca uma nova opção de cultura e arte em São José dos Campos.

    Proxima saída fotográfica: Quinta, 7 de março de 2013 às 18:00. É GRATUITO – PARTICIPE!

  • Quem somos

    Quem somos

    Postado por Entrada Franca em 26/08/2010

    A Associação Entrada Franca tem por finalidades divulgar e promover em âmbito local, nacional e internacional a qualidade de vida no dia a dia das pessoas. Mostrar tendências, reflexões, sugestões a valorização da cultura nacional, movimentando-se por meio de registros culturais e históricos, promovendo o desenvolvimento sustentável de interesse da coletividade, com a finalidade social […]

  • O que é qualidade de vida?

    O que é qualidade de vida?

    Postado por Entrada Franca em 26/08/2010

    Qualidade de vida é o método usado para medir as condições da vida de um ser humano. Envolve o bem físico, mental, psicológico e emocional, além de relacionamentos sociais, como família e amigos e também a saúde, educação, arte, cultura, turismo, esporte, poder de compra e outras circunstâncias da vida.

Não deixe o ciclo menstrual atrapalhar sua rotina de treinos

Posted by Entrada Franca   Jul 04th, 2011   No Comments »
Não deixe o ciclo menstrual atrapalhar sua rotina de treinos

Aprenda como driblar esses sintomas indesejáveis e ter o melhor rendimento mesmo nesse período do mês.

Inchaço, dores, alterações de humor… a vida da corredora fica bem difícil quando o período menstrual se aproxima. Além de deixar a atleta fisicamente prejudicada, o desânimo pode minar as forças da esportista. Então o que fazer? Resignar-se? De jeito nenhum! A Ginecologia do Esporte tem trabalhado exatamente para achar alternativas para que esses sintomas não atrapalhem o rendimento da atleta. “A Ginecologia do Esporte tenta garantir que a mulher possa ter seus hormônios como grande aliados de sua feminilidade e, em nenhum momento, empecilhos à sua felicidade”, diz a Dra. Tathiana Parmigiano, Ginecologista do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa de São Paulo e Primeira Ginecologista do Brasil com Título em Medicina Esportiva.

Segundo a Dra. Tathiana, o segredo para combater o mal-estar gerado pela fase menstrual, está nos contraceptivos hormonais. “Eles podem minimizar os sintomas de TPM (tensão pré-menstrual) como inchaço, cólicas, quantidade de fluxo, alterações de humor com ainda maior eficácia, e no caso das mulheres que correm, eles permitem o planejamento do ciclo para que possam fazer suas provas na fase do ciclo que preferirem e quando seu rendimento será provavelmente melhor”, explica a também Ginecologista da Seleção Brasileira de Basquete e de Judô. A médica ressalta que prescrição precisa ser individualizada, com um ginecologista de confiança e que, de preferência, trabalhe com atletas. E há os anti-inflamatórios, que podem ser usados antecipadamente ao estabelecimento das cólicas e auxiliam no seu combate.

Busca da estabilidade emocional

Mas os anticoncepcionais minimizam também a “gangorra” emocional pela qual muitas mulheres passam? De acordo com a especialista sim. “As alterações de humor estão associadas às variações hormonais, e eles são responsáveis por minimizá-las e garantir uma melhora muito grande na instabilidade presente nesse período”, esclarece. Porém, quando essas medidas não são suficientes, suplementações vitamínicas e anti-depressivos podem ser utilizados apenas no período pré-menstrual. Uma vez que a menstruação chegue, seu uso pode ser suspenso e retomado de 7 a 14 dias antes do próximo ciclo. “A prática de atividade física por si só libera endorfinas que também minimizam essas variações e melhoram os sintomas de TPM, precisamos apenas conseguir que a mulher se sinta bem, com “pique” para iniciar a atividade”, diz a Dra. Tathiana.

Mudanças na alimentação

A alimentação balanceada também desempenha papel fundamental para a boa performance da corredora. Cálcio, magnésio e vitamina B6 são essenciais para que a TPM seja minimizada, e a médica explica como pode-se conseguir ingeri-los de maneira simples. “O cálcio é comum no leite, iogurte, queijo e seus derivados; já carnes, cereais integrais, banana e batata são fontes naturais de vitamina B6; o chocolate é também rico em magnésio, o que traz aquela sensação de ‘calmaria’ por causa da serotonina”, orienta a ginecologista, que só alerta para que a ingestão do último seja feita com restrição, pelo seu teor calórico e por ser rico em gordura, o que em excesso também se torna prejudicial. Outros nutrientes indicados são os ácidos graxos essenciais encontrados nas castanhas-do-pará, nozes, amêndoas. Além desses, beber água, chás de ervas e alimentos diuréticos (como melancia) podem ajudar quando a sensação de peso e inchaço aparecem.

Além das alternativas para minimizar o prejuízo nessa fase, há também a possibilidade de não menstruar. “A opção de não menstruar deve ser individual e não há problemas nisso, desde que seja algo planejado e bem orientado”, diz a Dra. Tathiana. Para isso são usados contraceptivos hormonais: pílulas, anel vaginal, adesivo ou DIU. Mas a médica alerta para a ausência de menstruação casual, que pode ser sinal de uma síndrome chamada de Tríade da Mulher Atleta, que inclui desordem alimentar, distúrbios menstruais e alterações ósseas, e deve ser tratada da maneira mais precoce possível. “A Tríade é desconhecida por 80% das atletas, e pode acontecer com mulheres de qualquer nível competitivo, sendo as corredoras uma população de maior risco”, avisa. Aproveite as dicas e orientações da ginecologista do esporte para evitar os desconfortos do ciclo menstrual e atingir o seu melhor desempenho na corrida… em qualquer período do mês!

Fonte: Dra. Tathiana Parmigiano, formada pela Escola Paulista de Medicina – Unifesp, Ginecologista do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa de São Paulo e da Seleção Brasileira de Basquete e Seleção Brasileira de Judô. Primeira Ginecologista do Brasil com Título em Medicina Esportiva. Site – www.queromemexer.com.br

Deixar uma resposta